• Português
  • Inglês

ERVA ART CORNER


O Erva Art Corner é uma pequena galeria inserida no Erva onde, de três em três meses, um artista conceituado é convidado a dar a conhecer as suas obras. Venha desfrutar desta experiência única que combina a Arte com a Gastronomia!


EXPOSIÇÃO A DECORRER


JOÃO PARAMÉS

Nasceu em Lisboa em 1978. Frequentou o curso de Pintura 1994-1995 na Sociedade Nacional de Belas Artes em Lisboa. Em 2003 licenciou-se em Pintura na Escola Universitária das Artes de Coimbra. A sua obra encontra- se representada em inúmeras colecções privadas e públicas, nacionais e internacionais: Assembleia da República, Câmara Municipal de Lisboa, Museu da Fundação Portuguesa da Comunicação, Museu Grão Vasco, Ministério das Finanças, Centro Galego de Lisboa, Casa do Artista, Clube dos Empresários, Banco Privado de Angola, Barclays Bank Portugal, Associação António Fragoso, Valormed, Siemens Lisboa, Sparkasse (Alemanha – Warstein), Câmara Municipal de Warstein (Alemanha), Les Enfants Bleux (França – Paris), Parlamento Galego (Espanha) e Fundação António Aleixo – Faro. Realizou e participou em inúmeras exposições individuais e colectivas em Portugal, Alemanha, França, Nova Iorque e Toronto.

Texto de Maria Melo


HAVE A FUNNY FEELING ABOUT

Estórias escondidas por entre fantásticas composições, personagens incógnitas, animais híbridos, mãos e pés que se movem possuídos pela música, ou, quiçá, pelo desejo disfarçado do artista em dançar e musicar, representados numa simplicidade de formas e num processo quase infantil, chamam-nos a entrar dentro da tela e aí recriar o circo da vida. Esculpir cores vivas, vibrantese puras por entre silhuetas, num processo de profundo empenho e paixão, levou a sua obra a atingir, através de um rigor que não se vê e de uma técnica que a separa do desenho, um “lugar” na nova pintura contemporânea portuguesa.
Have a funny feeling about explica a obra de João Paramés a partir da sua elaborada simplicidade e do seu caminhar de adulto num mundo desenhado por sonhos, caminhos obstinados pelo desenho, criados na sua tangível imaginação, balanceada por uma sensibilidade pura.

Texto de Maria Melo



EXPOSIÇÕES ANTERIORES


NANA SOUSA DIAS

Músico e fotógrafo. Nasceu em 1957 em Torres Vedras e começou a interessar-se por fotografia e música aos 13 anos. Em 1980, enveredou pela carreira de músico profissional e abandonou a fotografia durante um longo período. Em 1997, com 40 anos, decidiu regressar à fotografia, tendo recomeçado a fotografar, imprimir e a estudar, como autodidacta. Em 2002, comprou a sua primeira máquina de grande formato, que passou a ser o seu formato de preferência para paisagem, nu, retrato e fotografia urbana. Em 2004 começou a leccionar, tendo dado muitos cursos e workshops, em Portugal e no Brasil. Em 2005, a revista americana B&W Magazine, considerada a melhor revista de fotografia Fine Art do mundo, publicou um artigo colocando-o entre os melhores fotógrafos de paisagem do mundo. O seu trabalho foi publicado em revistas e livros em Portugal, Brasil, Rússia, Estados Unidos, bem como em vários livros técnicos de uma editora inglesa. Já fez cerca de 50 exposições em Portugal e no Brasil.

Text by Maria Melo


STORIES

“O que fica na fotografia são os laços invisíveis do que havia…”.

Histórias, olhares, figuras, não passam de retratos que nos dão a certeza de que a intimidade com o olhar do fotógrafo fica e deixa, ao olhá-las, instantes decisivos, momentos irrepetíveis. Na interação com outras artes, a música, a mais abstrata de todas, nana sousa dias, contextualiza uma expressão direta com o universo criativo, sonorizado através dos movimentos precisos que capta, trazendo à superfície uma certa expressão melancólica e sentimental

Tão próxima da composição musical. O preto e branco, simbolizando a fidelidade ao processo fotográfico analógico, encaminha o observador, nesta mostra, a uma performance de fragmentos urbanos e humanos a partir de uma musicalidade disfarçada arrancada à simplicidade do olhar humano e de um saxofone preso à mão do fotógrafo.

Texto de Maria Melo


MARIA ANTÓNIA SANTOS

Nasceu e vive em Lisboa. Tirou o curso da Escola de Artes Decorativas António Arroio e licenciatura em Pintura na ESBAL. Foi bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian em França para o estudo e aprendizagem da Tapeçaria. Foi docente do quadro da Escola Artística António Arroio. É membro da Association International Des Arts Plastiques (UNESCO). Representante de Portugal na “8th international tapestry” em Lodz (polónia). Realizou inúmeras exposições em Portugal, Espanha, Itália, Alemanha, França, Polónia E Finlândia. Foi distinguida com menções honrosas em Barcelona e Estoi, recebeu medalhas de bronze em Portimão e Estoril e o 2º prémio ERA ART de Gdynia (Polónia).

Texto de Maria Melo


ABOUT LOVE

“A pintura de maria antónia santos reflete o seu silêncio interior revelando em simultâneo a sua forma de expressar a beleza. A naturalidade da aplicação dos materiais onde o ouro tem quase sempre um lugar mais expressivo conduz-nos aos lugares dos sentimentos ricos, aos valores vividos no amor e a uma expressividade livre – valores que na pintura permanecem e que depuram a sua qualidade. A sua carreira que decorre num só rio, o mesmo condutor da sua experiência e da sua cultura artística, é assim na exposição “about love”, que agora apresenta, o reconhecimento de um valor convincente no mundo contemporâneo das artes plásticas.”

Texto de Maria Melo

TOPO